A pousada

Pensando em proporcionar uma experiência maravilhosa em um pedacinho do paraiso, sem perder a comodidade das grandes cidades, construimos nossa pousada com o que há de melhor nos grandes hoteis, não poupamos esforços para deixar o espaço do mercido descanço o mais acolhedor possível.

Fugindo do stress da grande São Paulo tivemos o sonho de morar em um lugar calmo, pacato onde pudessemos curtir a vida. Dai nasceu a ideia de morar em Itaúnas, com essa ideia fixa em nossas cabeças pensamos "por que não compartilhar com todos essa experiência de vida", assim começou nossa pousada, com um sonho,que hoje se tornou realidade.

Com o conceito sempre pensando em comodidade nossa pousada conta com:

Área de café

Com apmla área de café da manhã, muito bem arejada, vista para piscina, você poderá desfrutar de um maravilhoso café da manha.

Piscina

Mesmo aqueles que gostam do mar, mas acham umpouco incomo suas aguas salgadas, oferecemos diversão refrescante para os dias quentes de Itaúnas.

Estacionamento

Contamos com vagas para estacionamento do seu carro, assim você pode ficar tranquilo emsua estadia.

Suítes

Todas nossas suítes seguem o mesmo padrão de arquitetura, variando somente em sua decoração e disponibilidade de acomodações.

Sendo assim todos possuem:

Grande sacada com poltrona de descanço.

Frigobar

TV LED 32'

Ar condicionado

Ventilador

Itaúnas

Itaúnas é um distrito do município de Conceição da Barra, no Espírito Santo. O nome Itaúnas é um topônimo de origem tupi que significa "pedra negra", através da junção dos termos itá = pedra e un = negro. O nome lhe foi atribuído em alusão às pedras negras do fundo do Rio Itaúnas, que margeavam a antiga vila.

Sua sede é uma pequena vila turística, muito famosa por suas praias, pela paisagem marcante das Dunas de Itaúnas e pela tradição do forró pé-de-serra.

A Vila de Itaúnas surgiu por volta do século XVIII, em decorrência da derrubada da mata nativa, abundante na época devido às empresas de celulose. Mas antes (e até hoje) existe a resistência de comunidades Quilombolas que mantém a cultura viva, com tradições como Jongo de Reis, Boi Ticumbi e culinária, inclusive beiju e farinha de mandioca, que há mais de trezentos anos é a principal opção para a economia Quilombola. Algumas pequenas casas foram construídas do lado direito do Rio Itaúnas, que deu nome à vila, onde existe a principal comunidade, que luta pela retomada de seu território, roubado pela Aracruz Celulosa (Fibria), em parceria com a Fase, que é uma ONG que denuncia as mazelas do capital internacional, que oprime as comunidades nativas, criando o chamado Deserto Verde, que é angelim.

Há muitos anos, a vila possuía uma pequena faixa de mata que a separava do mar. Era essa vegetação que segurava o avanço do lençol de areia, que se movimenta constantemente com a ação do vento Noroeste, muito comum no norte do Espírito Santo. Com a derrubada dessa faixa de mata, entre as décadas de 1950 e 1970, a areia avançou sobre a antiga vila, soterrando-a. Hoje restam apenas algumas ruínas, que podem ser observadas de tempos em tempos, quando a areia as descobre.

Enquanto a vila era encoberta pela ação da natureza, a prefeitura de Conceição da Barra adquiriu terras do outro lado do rio, pertencentes a Teófilo Cabral da Silva. Ali, foi erguida a nova vila, que lá se encontra até hoje.

A Vila de Itaúnas é um local extremamente bucólico, com ruas de barro e casas simples, mas muito conservadas. Há iluminação pública e água tratada e encanada. O povo é hospitaleiro e receptivo, sendo bastante comum se deparar com "nativos" ensinando passos de forró a turistas de todo o mundo, especialmente na alta temporada (partes de dezembro e fevereiro, e os meses de janeiro e julho).

Itaúnas é famosa pelas dunas e pela dança, que faz parte da cultura local. Anualmente Itaúnas recebe a visita de dezenas de milhares de forrozeiros de todas as regiões do país, que se deslocam até a vila para desfrutar do autêntico forró pé-de-serra, que por lá toca o ano inteiro. Anualmente, no mês de Julho, é realizado o "Festival Nacional de Forró de Itaúnas". Por ocasião do festival, é realizado um circuito onde bandas de todo o Brasil competem, sendo eleitas as melhores por um júri especializado. O público torce bastante por suas bandas preferidas e faz um espetáculo à parte durante as apresentações, tornando o evento ainda mais interessante. Nessa época, Itaúnas é invadida por milhares de pessoas de todo o Brasil e do mundo, que se hospedam nas diversas pousadas, áreas de campings e residências existentes no local.

O Festival é o maior do mundo e, no ano de 2011 reuniu mais de 30.000 pessoas em apenas uma noite (sábado, dia 23), as quais se espalharam pelos diversos pontos de forró distribuídos pela pequena vila, como o Buraco do Tatu, Crepe Samba Kone e Bar do Fórró, apenas para citar os mais conhecidos. Ao todo, mais de 50 000 pessoas frequentaram o Festival de Forró de 2011 , durante as duas semanas de sua duração.

Contato